07 abril 2006

Primeiro Mundo - II

Retornava eu de São Paulo, onde fui visitar meus sogros, quando, perto de Campinas, resolvi dar uma paradinha no Shopping Serra Azul, aquele que fica sobre a Bandeirantes. Sou fanático por artigos fantásticos, como, por exemplo, canivetes Victorinox. Como o meu já estava meio velhinho, com as capas quebradas, estava disposto a comprar um novo, igual ao meu, com todas as lâminas, tesoura etc. Porém, a vendedora, cujo nome deveria ser Alice me disse que ele estava fora de linha. "Mas, se o senhor quiser, pode levar o seu para a Victorinox, em São Paulo, olha aqui o endereço, que eles fazem uma reforma de graça." E a Alice não forçou a barra, vendedora que era, de me empurrar um similar. Curioso, entrei na página da Victorinox e descobri que, além de representantes desta empresa, também representavam as canetas Cross. No dia seguinte, entrei em contato com a Victorinox, sendo atendido por um português muito simpático, Sávio Santos, que me disse para enviar os produtos por Sedex, que eles dariam um jeito de repará-los. Isto aconteceu há mais ou menos um mês. Recebi há dois dias um e-mail me pedindo para fazer um depósito bancário na conta da Victorinox de R$20,00, pois meus objetos já estavam consertados. Fiz o depósito e hoje recebi o canivete e a caneta restaurados. O conserto da caneta(Troca de mecanismo) foi feito de graça e a troca das capas do canivete custou o absurdo de R$7,00. Quando enviei os objetos, coloquei-os em uma capa de óculos para protegê-los. Eles retornaram na mesma capa de óculos, perfeitos e renovados. Observação final: Canivete Victorinox- Made in Swiss. Caneta Cross- made in USA. Garantia do canivete: lâminas, acessórios e molas: eterna. Garantia do mecanismo da caneta: eterna. Estamos no primeiro mundo mesmo!

Um comentário:

joseciteli disse...

Ola Shiost,

Fugiu totalmente do seu estilo, hoje tao serio e pe no chao, seu estilo Gabrielesco ficou totalmente escondido.
Gostei muitissimo, nao sabia nem imaginava que existem produtos com garantia eterna.Fez-me lembrar meu canivete tipo suico, koreano, que nao tem qualidade nem garantia, mas estava em meu poder quando os papa-defuntos estavam colocando flores no caixao do meu pai e despreparados para o que estavam fazendo, nao tinham com o que cortar os cabos das palmas de Santa Rita (flores de cabos bastante longos), fiquei orgulhoso de apresentar-lhes minha modesta ferramenta. Isto foi nos idos de 1989, mas ate hoje o velhinho koreano esta sempre na minha maleta e a estimacao vai ficando cada vez maior.