25 janeiro 2007

Uma luz

Dizem que há uma nova gestão de comportamento quanto aos serviços executados em grandes empresas. Eles dizem que tudo deve ser feito com muita calma e tranqüilidade, sem pressa, pois os resultados serão melhores. Assim aquela idéia japonesa pelo trabalho insano, rápido e escravo, está perdendo a força. Assim como o desespero americano pelo trabalho também. Dizem que na França, que tem uma jornada de 36 horas semanais, a produtividade é muito maior que nos outros países. O mesmo acontece na Alemanha, que tem uma jornada de 28 horas semanais. As novas tendências estão nos direcionando para um trabalho soft, sem pressa, e muito bem-feito, com qualidade, deixando de lado a quantidade, e, logicamente num ambiente descontraído e sem stress. Exatamente o que nós, os terceiromundistas, estamos tentando contrariar. Aqui, tudo deve ser feito rapidinho, pois não podemos perder tempo. Isso acontece na minha firma, onde tudo tem que ser feito rapidinho: um projeto, um memorial, uma montagem. Vamos ver quando é que essa gente vai começar a trocar a quantidade pela qualidade. O mais interessante de tudo, neste Brasil, é que quem acha que tudo pode ser feito rapidinho é justamente quem não tem capacidade de fazer nada: Os chefes. Fica aqui meu desabafo!

OBS.- Creio que este escrito foi meio fora de órbita, pois todos os leitores de meus escritos são aposentados ou não trabalham...

5 comentários:

irmãcaçula disse...

caro Shiost

Como sou uma desempregada e hoje, como raramente ocorre, estou sem meu trabalho voluntário de 6a feira (nossa sede no Hospital Darcy está em reforma) sou a primeira a ver seu blog realmente "desabafante". É bom fazermos isso de vez em quando, compartilhar com as pessoas (nem todas, pois não compreenderiam) o que vai dentro de nós! Deve ser barra mesmo trabalhar assim!
Beijos!

timtimdez disse...

Descobri mais uma utilidade do Blogg: desabafoterapia. Bota a boca no teclado, grita mesmo. Agora não vem ofender os aposentados não, que o meu ritmo é avassalador: levantar às 8, ou 9, ou dez; fazer compras para o almoço; ver as notícias do dia; almoçar; fazer a siesta, que ninguém é de ferro; pagar as contas- isto é - enfrentar as stressantes filas de banco; atender telefonemas dos netos, das minhas pretendentes - aquelas mocinhas do telemarketing -
atender os cobradores; emprestar dinheiro pra Deus - para as dezenas de pedintes à porta. Uffa!

caos e ordem disse...

Qui qui é isso, comose aposentadonão pensasse e tivesse aposentado o célebro.
Dou o maior apoiopara o seu desabafo, além do mais sou seu amigo e o que vier daí é benvindo.
Neste sábadoestouem Sampa e daqui deste teclado cujabarra de espaços falha, daqui do undécimo andar em Perdizes tenho duas vistas muito curiosas: o estádio do Palmeiras, nossoarqui rival, e mais adiante no horizonte o fim da cidade, onde acabam os prédios e tudo vira só vegetação, tudo muito verde quase preto.

falou o Zecão

Anônimo disse...

Nice disse...

Shiost, você tem "carradas" de razão! Qualidade é melhor que quantidade. Por isso peço que você me ajude na qualidade do meu blogzinho. Fui querer melhorar a qualidade com a nova versão e agora ele nao funciona mais. Estou ainda no confuso horário e pensar dói. Quero postar a continuaçao da viagem e nao entra. Se não der, vai ficar para amanhã...

Shiost Aguiar disse...

Nice

Pelo que eu percebi, agora você tem que fazer o login com seu e-mail do google, ou gmail. O meu é agranews@gmail.com e daí coloco minha senha. Parece que fora isso, nada mais mudou.