12 junho 2007

Trocando em miúdos

Hoje, finalmente, após dezenas de exames, saiu o diagnóstico do médico sobre a minha doença. Trata-se de uma formação incomum de fibras em minha medula óssea. No momento não me pareceu assustador a quantidade de fibras em relação à quantidade de células normais. O problema seria o aumento de produção de fibras, o que as levaria a ocupar os espaços para a formação de células normais. Meu estágio atual é hipercelular, isto é, muito mais células que fibras. Aliás, mais hipercelular do que o normal para pessoas da minha idade (Vou rever meu registro de nascimento). Quando houver a reversão para o estado hipocelular o bicho vai pegar. Para que isso não aconteça o doutor me mandou tomar um remédio durante um certo tempo e então terei que estar fazendo novos exames. Tenho marcada uma consulta em Campinas com um cobrão da hematologia em 28/06. Vou ver a opinião dele por R$180,00. Se o diagnóstico coincidir com o de Limeira, vou aumentar a oferta para R$360,00. O lado bom: nada de regime!



Não, não são as crateras da lua. São as células e fibras da minha medula óssea.

4 comentários:

timtimdez disse...

Ééé! O passar dos anos é catastrófico
Vi uma bela foto sua, lá no blog da Nice e agora essas crateras lunares, e esses nomes - hipercelular - hipocelular - hiperfibrose. Muito clássica sua expressão :"terei que estar fazendo". Viva o lado bom! Nada de regime. Comamos e bebamos, amanhã morreremos, já diziam os sábios romanos. Por favor, vá até os comentários do blog da Nice, reveja a foto da família Aguiare satisfaça meu pedido: publique uma pequena biografia de sua família.

NiceBarth disse...

Puxa vida! Você é um "homem de fibra"! Mas isso tem nome? A foto parece um quadro. Aliás, pensei que fosse. E ainda poderá ser... Parece uns quadros que a Alessandra pintava, em aquarela. De qualquer maneira, alguma resposta é melhor do que a espera por uma resposta, concorda?

Anônimo disse...

aleluia, teremos durante muito tempo a amizade do Shiost e a sabedoria do Mesmeu.
Entendo que podemos comemorar.
Permito-me palpitar: cuidado com o cobrão de Campinas, agora que essa novela cheia de suspensórios chegou ao fim, não seja levado a começar tudo de novo.
Parabéns, viva muito, viva bem.
digitou o Zecão

Anônimo disse...

sei que la no fundinho do seu coração existe uma preocupção com o seu estado de saude e o interesse de encontrar pessoas que vive o mesmo drama. tenho mielofibrose a 03 anos faço tratamento médico em osasco com um exelente hematologista, fique quaze 1 ano internada até em UTI , hoje levo uma vida "normal",tenho interesse em conhecer melhor a sua história de vida.