Ocorreu um erro neste gadget

25 abril 2006

Amigo de ônibus

Eu o conheci no meu trajeto diário para Piracicaba. Havia naquele ônibus um senhor que sempre estava munido de uma pasta, da qual extraía sempre um livro, um calhamaço de papel impresso ou talvez uma revista, que passava a ler. Por coincidência, eu também tinha esse estranho costume de ler e aproveitava os minutos dessa viagem diária para ler. Calhou que um dia sentamos lado a lado e conversa vai, conversa vem ficamos sabendo mais ou menos quem era quem. As viagens continuaram e a camaradagem foi aumentando. Daí a passar a conhecer sua mulher foi só eu ir à sua escola de leitura dinâmica e memorização, e pronto. Então, para que ele também conhecesse a minha, convidei-o uma tarde de sábado a visitar minha casa. Antes disso, avisei minha mulher que ele era vegetariano e que estava na Seicho-no-Ie e que tinha uns regimes alimentares meio diferenciados. Com muito cuidado ela preparou um chá com torradas integrais, margarina, geléia de abacaxi diet e mel para passar nas torradas ou adoçar o chá. Não tivemos coragem de colocar o açucareiro na mesa. Infelizmente nesse dia, sua esposa não pode acompanhá-lo e ficamos, minha mulher, eu e ele tomando chá com mel, etc. Nessa ocasião, por acaso, tínhamos alguns doces, pois havia acabado de chegar de uma viagem a Minas e tinha trazido doce de leite, goiaba em caldas e havia sobrado um manjar branco do almoço. Foi quando minha mulher perguntou, Você quer um docinho, Aceito, Tem goiaba em caldas, manjar branco, doce de leite cremoso e requeijão, qual você quer, Olha, eu vou experimentar os três e mandou ver.

Quando ele foi embora minha mulher me disse, Isso é que é regime, hein? Pois é...

A partir de então, nossa convivência aumentou e com muito custo, trabalho e investimento inicial em mel e pão integral, consegui outro amigo. Não digo grande amigo pois amigo não tem qualificativo. Ou é amigo ou não. Bem, este é um outro tema para um próximo estudo psicológico interático.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá, que queu posso fazer. Todo dia aquela religião, ver os comentários, ver o blog refulgir, nem sei o que aconteceu ontem, talvez a presença dos netinhos que dormiram aqui e cansam um pouco mais à gente.Estou muito chateado pela mancada de ter falhado em meu comentário, justo no dia do AMIGO DE ÔNIBUS. Então aqui fica um pedido de desculpas e um MUITO OBRIGADO.

Anônimo disse...

Ainda bem que acabei me lembrando o que aconteceu ontem. Minha carona de conexão estava péssima, travando o computador toda hora, então desliguei a maquininha e fui dormir.
É tudo pura verdade, até a história dos doces, eu tenho mesmo o costume de misturar doces, aprendi com os japoneses (um abraço para o João Carlos Espandongado).
É bom que seus leitores saibam que eu também escrevi AMIGO DE ÔNIBUS, está em www.mrciteli.blogspot.com
É uma honra ser amigo de um sujeito tão seletivo e de gostos tão apurados.
grande abraço CAÓTICO