11 abril 2006

Resposta do amigo

Inacreditável Aguiar,

Sinto-me lisonjeado como receptor de sua inspiração. Você continua evoluindo, enquanto outros (como eu) atravessam um deserto, árido de criatividade, de estilo e de outros temperos. Foi-se o tempo em que de meu cerebelo brotavam considerações ilógicas, mas precisas dentro do contexto. Absurdas, mas consistentes com a estrutura matemática do pensamento enlouquecido. Hoje, decadente, vivo à margem da vida, sem amparo ou guarida – oh, Deus, como meus textos são intrépidos e fugazes... Quoting, é o que muitos jazzmen fazem lembrando ao Clifford Brown. Aliás, procurei, procurei, (de lanterna na mão) e não encontrei “I Remember Clifford”, com a qual iria retribuir sua gentileza. A vida é curta, principalmente pra quem morre cedo. E ele foi precocemente, aí pelos seus 28 anos, para o outro lado. Ficou a lenda.

Passar bem

Um comentário:

joseciteli disse...

arre égua. Seu amigo é tão ou mais doido que você. Fico até meio preocupado de ser seu amigo, mas acho que sou um pouco menos despadronizado.
Vão ter gosto musical apurado assim lá adiante.

escreve que eu leio e comento