04 agosto 2006

33 anos

Faz exatamente 33 anos e 2 minutos que estou casado. Por coincidência também foi numa sexta-feira, como hoje. Quero marcar esta data: 4 de agosto de 1973. Dizem os superticiosos que dá azar casar em agosto, pois o casamento não durará muito. Poucos casamentos são realizados em agosto. No entanto, na minha irmandade fraterna este fato não foi comprovado, pois minhas 2 irmãs também se casaram em agosto e os casais estão juntos até hoje. Vim disposto a comemorar a data com um jantar fora, num restaurante de primeira. Lucy disse que era bobagem por dois motivos: Primeiro- Em Limeira não tem restaurante de primeira. Segundo: Não estava com saco de sair. Ante tão perfeita argumentação resolvi tomar um uísque, descer para o micro e escrever estas linhas.

OBS.-
Ainda estou abestalhado com o tratado sobre flatulência publicado pelo Zecão ontem, 3 de agosto, porém, acho que foi culpa direta da sua filosofia caótica e ordenada. O caos venceu de goleada desta vez, mas foi muito divertido. Vou encaminhá-lo a muitas pessoas pois é muito educativo.

A foto abaixo foi tirada após o sacrifício da cerimônia religiosa, já dentro do carro que nos devolveria ao mundo real.

3 comentários:

caos e ordem disse...

Linda foto. Fiquei em dúvida se a expressão é de apaixonados ou de tarados (tesudos) ou de tudo junto.
Muito comemorável, deviam ter saído mesmo não havendo restaurante de primeira pois quando a gente ama qualquer coisa serve.
Como é lindo o sonho de noivos!
Como é bom poder olhar para trás e ver quanta coisa deu certo.
PARABÉNS

Zecão

timtimdez disse...

PÕ! Tá mais que decretado: mes de agosto não é mes de desgosto, nem de mau gosto. Quanta comemoração! Já viu o blog do caótico hoje?(05/08) Esqueceu todas as flatulências e deu um show de otimismo.
Parabéns para o casal belo e vitorioso.

irmãcaçula disse...

Caro irmão Shiost e cunhada Lucy.
Ser comentarista fajuta de blog é isso aí. Faz dias que não leio seus artigos.
Não poderia porém, deixar de parabenizar vcs. pelos 33 anos de casamento.
Se casar em agosto, dá azar não sei; o que importa é que estamos todos juntos, talvez por uma dessas hipóteses: sadismo, masoquismo ou melhor, por um amor capaz de enfrentar tudo, inclusive frustrações como essas: a sua pela recusa da Lucy em sair e a dela, por pegar um uísque e descer para o Micro! Ah! Os homens! Poderia comemorar aí mesmo, que tal?