19 setembro 2006

Eleições 2006

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".

Desde que Jurandir ficou careca começou a desconfiar do ser humano e de seu criador. Piorou quando viu o trecho do famoso discurso de Ruy Barbosa no Senado da República, em 12 de agosto de 1902, ficando muito confuso. Já era 2006. Maldita a hora em que ele leu num blog que sua filha deixou aberto no micro a frase do Ruy. Tinha a mania de dar nomes aos bois: Ao ver nulidades, pensou: "Só podem ser o Zezé de Camargo e Luciano, Ronaldinho Gaúcho e Faustão. Chegando à Desonra, pensou no próspero açougueiro da esquina que vendia coxão duro como se fosse picanha. Quando leu Injustiça, pensou na cabeleira do Álvaro, que com 60 anos ainda usava rabo de cavalo. Ao se agigantarem os poderes nas mão dos maus só pode se lembrar dos donos daquelas maquininhas eletrônicas de jogo que faziam uma concorrência desleal com as loterias da caixa. Porém, não gostou do fim da frase. Pois, um homem que tem uma formação como a sua, ciente de suas verdades, jamais desanimaria da virtude e nunca riria da sua honra e teria vergonha de ser honesto. Como diria Mesmeu, o filósofo triste: "Fala sério!"

4 comentários:

ZECÃO disse...

Oi Senhor, conseguiu abrir um ponto de interrogação no meu pensamento (mais um).
O discurso do RB em 1902, 104 anos passados, será que na época a bandalheira era tão grande como agora!
Meu caro companheiro e comentarista, minha cabeça está fervilhando com os preparativos para a volta. Para dedicar todas as minhas energias a essas atividades estou me dispensando de continuar comentando suas belas produções literárias.
É lógico que continuarei visitando o REFULGIR e quando me sentir mais tranquilão vou postar um ou outro comentário, apenas estou me dispensando do que para mim era uma obrigação.

saudações caóticas

irmãcaçula disse...

Em resposta ao Zecão, a bandalheira existe desde que o homem é homem! O que ocorria, é que muito lixo ficava escondido debaixo do tapete.
Concordo com Mesmeu: esta última frase deve ter o entristecido bastante.
Quem realmente possui estas raras qualidades, e que são poucos,infelizmente, aumenta-as em vista de tanta "malandragem". Isto vem do berço!
Comentar o blog para mim é devoção!

NiceBarth disse...

Detesto tanto os políticos e suas tratantagens e safadezas, quanto gosto cada vez mais do Don Quishiost, que está fazendo refulgir suas opiniões!

timtimdez disse...

Afinal, o Jurandir também é primo?
Pra ter inveja do rabo de cavalo do Álvaro, só sendo bem próximo. O texto está bem engendrado. DESISTIR jamais, mesmo que o Jurandir e eu sejamos os últimos honestos deste mundo.